Como combater o grande mal chamado estresse

Tempo de leitura: 5 minutos

Crise financeira. Desemprego. Violência e os medos que ela cria, alguns reais, outros ilusórios. Exigências cada vez maiores no mundo corporativo- cada um de nós é convocado a matar um leão por dia. Acúmulo de trabalho: cada vez o tempo é mais curto e há mais coisas a se fazer, até porque, com cortes de pessoal feito pelas empresas nessa situação de crise econômica, os funcionários que restam ficam sobrecarregados.

Competitividade. A necessidade de chegar primeiro, de ser o melhor, de não ficar para trás. A especialização cada vez maior no trabalho torna a competição mais acirrada, a cada dia que passa.

Excesso de informação. A obrigação, nem sempre profissional, de estar a par de tudo, de ser uma pessoa atualizada, de ter o que opinar. De mostrar posse de conteúdo.

O egocentrismo e a vaidade podem contribuir com esse quadro de competição.

A emergência de novidades tecnológicas transforma o conhecimento pretérito em obsoleto, com uma rapidez espantosa. O especialista de ontem pode se transformar no incapacitado de amanhã.

A quantidade confundida com qualidade- até mesmo na esfera profissional.

Grande quantidade de “vozes” que estão sempre nos chamando: é uma das armadilhas do avanço tecnológico. Todo mundo tem um “monitor” no seu bolso. Não há mais privacidade, hora de descanso. A qualquer momento do dia, você pode ser chamado. Esteja onde estiver, você pode ser localizado e acessado.

Cada um desse fatores expostos contribui para a instalação daquele que é um dos maiores males da atualidade: o estresse. É uma tarefa muito difícil, quase heroica em alguns casos, não ficar estressado.

Porém, o estresse não é uma maldição. Não existe um determinismo, uma fatalidade que condene você a ser uma pessoa estressada até o fim dos seus dias. Existem meios de evitar o estresse e de mantê-lo em níveis suportáveis nos casos em que ele se torna inevitável. E isso é uma questão de saúde mental e física, porque o estresse pode abrir caminho para inúmeras doenças graves, como problemas de pressão, doenças cardíacas, diabetes, depressão e muitas outras. O estresse, quando chega a níveis muito elevados, pode acabar com a sua vida.

De modo geral, quando uma pessoa percebe que está estressada, é hora de buscar ajuda. Procure um profissional. Um médico, um psicoterapeuta, um hipnólogo. O profissional vai te ajudar a identificar as raízes do seu estresse, ou seja, o que está fazendo com que você perca o controle da situação e orientar que caminho deve ser seguido, que tratamento e que terapias você terá que fazer para acabar de vez com o estresse ou para reduzi-lo.

Mesmo que você busque auxílio de um profissional, não deixe de recorrer a seus amigos e familiares. O amor e a amizade são remédios maravilhosos para qualquer problema. Como todo mundo tem problemas, já teve estresse porque passou por situações estressantes, sempre haverá um amigo ou familiar com quem você poderá trocar ideias a respeito do combate desse grande mal. Todo mundo tem uma receita que pode ser útil, seja porque já experimentou problemas parecidos com os seus, seja porque possui outro ponto de vista que pode ajudá-lo a ampliar seus horizontes.

Comportamentos acessórios.

Há coisas que você pode fazer. Existem práticas que podem funcionar como um exercício acessório a seu tratamento.

Medite.

Relaxe. Crie, sempre que possível, intervalos, ainda que curtos, para relaxar seu corpo e sua mente. É muito comum o trabalho atualmente ser ocioso. Levante-se a cada hora, por exemplo. Ande um pouco pelo escritório. Movimentar os músculos diminui a tensão.

Faça exercícios físicos com regularidade.

Aprenda a fazer alguma coisa como terapia. A tocar um instrumento, a pintar, a fazer artesanato, crochê, a montar miniaturas, enfim, escolha algo que você sempre quis aprender a fazer e faça. Uma atividade como essa irá ocupar a sua cabeça- uma maravilhosa terapia, do tipo ocupacional- e ajudar a relaxar seu corpo.

Reaprenda a respiração. Respire corretamente. O estresse altera a sua respiração. A respiração correta, além de oxigenar mais o seu corpo, relaxa.

Aproveite suas horas de lazer. Não leve problemas do trabalho para casa, vice-versa.

Ocupe o tempo em seu lar com atividades recreativas junto a sua família. Que tal dar uma mãozinha a sua esposa e aos seus filhos? Dar uma força com a louça a ser lavada, verificar como está a vida escolar de seus filhos, ajudá-los com eventuais problemas e brincar com eles. Criança precisa de lazer. Atividades domésticas feitas em grupo podem ser divertidas. É uma ocupação produtiva e benéfica de seu tempo. E o ajudará a relaxar.

Procure dormir bem. Evite fazer atividades que causem agitação antes de dormir. Leia um pouco, converse, veja um filme. Evite bebidas que contenham cafeína, como o café, mate e refrigerantes. Evite de pensar em problemas.

Tenha uma alimentação saudável. Equilibrada e balanceada. Evite os excessos- comer demais, principalmente á noite, pois isso o forçará a passar pelo processo digestivo junto ao sono, o que pode trazer vários problemas digestivos e de sono.

Alimente-se com calma. Não coma depressa demais. Mastigue bem os alimentos. Jamais omita refeições, isso traz a ilusão de se estar ganhando tempo, quando, na verdade, irá trazer problemas mais tarde que farão com que você perca tempo. Da mesma forma que você não deve levar problemas para casa, não deve levar problemas para a mesa. Muito menos trabalho. Na hora da sua refeição, preocupe-se apenas em comer, com nada mais.