Quando a produtividade começa a cair, o que fazer?

Tempo de leitura: 5 minutos

Há momentos ou fases em que a produtividade, em qualquer área da vida, seja no mundo acadêmico, no mundo corporativo, no ambiente doméstico, começa a cair. O indivíduo produz menos. Isto não chega a ser um bicho de sete cabeças, nem uma coisa de outro mundo, visto que mesmo máquinas podem render menos. A primeira coisa necessária de se fazer é investigar que razões estão levando a essa queda de produtividade.

No mundo corporativo, produtividade é uma pauta de extrema importância.  As pessoas são contratadas para executar determinadas tarefas e a execução dessas tarefas passa a ser sinônimo de competência. Passar pelo período de experiência e ser efetivado no emprego são conquistas que dependem de uma boa avaliação da sua “competência”, ou seja, da sua capacidade de cumprir as tarefas no prazo exigido e de fazê-las bem-feitas.  Existem muitos empregos que trabalham com metas que devem ser cumpridas. Muitas vezes, tais metas são mesmo diárias. Daí vêm as cobranças, o trabalho passa a ser feito sob pressão e o organismo começa a reagir mal, porque a parte psicológica do sujeito é logo afetada.

Um primeiro ponto, que é desejável se for possível de ser observado, é, diante de uma oportunidade de trabalho, verifique, antes de assumir o compromisso, se você é realmente capaz de cumprir as tarefas exigidas. Não adianta querer abraçar o mundo.

Também é bobagem contar com a procrastinação e a mentira, a “enrolação”, porque mentira, como diz o ditado, tem pernas curtas. Seu superior irá cedo descobrir que você o está enrolando. E sua reputação ficará comprometida.

Não é vergonha nenhuma não ser capaz de cumprir determinadas exigências, desde que você verifique esse fator antes de responder afirmativamente: é preciso saber dizer não. E um ótimo modo de adquirir essa sabedoria é conhecer os seus limites. Até onde você pode ir, antes de cair exausto e de arranjar sérios problemas? É uma resposta que você sempre deve buscar.

Se possível, envolva-se com projetos que você gosta. Não é algo fácil, mas há também uma ferramenta que pode ajudá-lo, que é a de aprender a gostar do que se faz. Isso facilita muito o trabalho, porque quando uma pessoa gosta daquilo que ela faz, o tempo parece correr a seu favor e o trabalho rende bem.

Lembre-se do “Não adianta querer abraçar o mundo”? Crie uma hierarquia para as suas tarefas, ou seja, coloque nas primeiras posições aquelas tarefas que têm uma maior urgência. A partir daí, tenha foco: concentre-se naquele trabalho mais importante e faça cada coisa de uma vez. Fazer muitas coisas ao mesmo tempo irá trazer confusão e, como consequência, perda de tempo. Com pouco tempo, dificilmente algum trabalho irá render.

Organização é algo de extrema importância. Organização evita a perda de tempo. Tenha sempre a mão as ferramentas necessárias para executar o seu trabalho. No computador, crie pastas, mantenha-as organizadas. Crie listas e cronogramas. Delete todo o material desnecessário. Tenha em mente, com clareza, aquilo que você precisa e que deseja fazer.

Evite o estresse. O estresse é um dos grandes responsáveis pela queda de produtividade.

A angústia, a depressão e a melancolia também são grandes inimigos da produtividade. Procure ajuda na medicina ou na psicoterapia. A hipnoterapia também pode ser uma ajuda de grande valia.

E sua saúde, hein? Como está? O cansaço, o desânimo, a falta de forças podem ser sintomas de que algo está errado com a sua saúde. Vá ao médico, faça exames periódicos, mantenha a sua saúde em dia, para que você tenha forças para trabalhar e para que seu trabalho tenha rendimento.

Alimente-se de forma balanceada e saudável. Não exagere no almoço ou nos lanches. Uma alimentação excessiva pode comprometer sua produtividade. Da mesma maneira, comer com pressa e em poucas quantidades também podem comprometer o seu desempenho, porque você estará mais fraco e vulnerável. Já diz o ditado popular, “Saco vazio não para em pé”.

Saiba descansar. Saiba administrar seu descanso. Procure relaxar nos intervalos, na hora do almoço e, principalmente, nas horas de lazer. Procure dormir bem, não economize sono.

Procure fazer exercícios físicos, com certa regularidade, principalmente se seu trabalho for mais físico do que intelectual. Isso o ajudará a ter mais disposição e lhe trará dinamismo. O corpo- e também a mente- têm necessidade de exercícios constantes. Mas faça isso com consciência, não exagere. O exercício aqui entra também como uma terapia, uma forma de relaxar e de combater o estressa. Não vá gastar toda a sua energia nas academias, porque não irá sobrar disposição para o trabalho. Sem energia e disposição seu rendimento fatalmente irá cair.

Problemas pessoais: atire a primeira almofada de divã quem não os tiver. Todo mundo tem problemas na esfera íntima da existência. Procure mantê-los afastados de seu ambiente de trabalho. Utilizar o tempo de sua jornada para resolver problemas pessoais é um péssimo negócio, que não é, evidentemente, coisa aconselhável de se fazer.

Tente resolver esses problemas nas suas horas livres. A mente, ocupada com preocupações “alienígenas”, irá contribuir fatalmente para a perda de produtividade no seu ofício, porque irá “levá-lo” a locais distantes do seu ambiente de trabalho. Caso o seu problema seja muito sério e urgente, tente conseguir uma licença ou adiantar suas férias e negocie com o seu patrão uma forma de reposição desse tempo de trabalho que será perdido, com horas extras ou até mesmo desconto monetário.

Manter a sua produtividade é uma questão de equilíbrio. Equilibre a sua vida e você verá resultados incríveis.